Mostrando itens por marcador: Gás Natural

Gás Natural: O energético mais competitivo

Este livro, escrito pelo engenheiro da Bahiagás, João Pedro Braga Teixeira, traz uma ampla revisão da literatura do gás natural e dos seus processos de distribuição. Além disso, apresenta um método de avaliação da competitividade entre energéticos, comparando o gás natural com os principais concorrentes.

Baixe aqui o seu exemplar.

Gás Natural e Benefícios Ambientais

Esta publicação traz uma avaliação objetiva sobre a utilização do gás natural na indústria baiana e como este uso gera um consumo mais limpo.

Clique aqui para baixar o seu exemplar.

Bahiagás divulga resultado da Chamada Pública para aquisição de gás natural stars

Numa iniciativa pioneira entre as Companhias Distribuidoras Locais de gás natural (CDLs), a Companhia de Gás da Bahia – Bahiagás, manteve aberta, durante quatro meses deste ano (junho a outubro), uma Chamada Pública para aquisição de gás natural, no volume de até 1 milhão de m³/dia, com independência da origem (Onshore, Offshore, GNL, etc.) e da quantidade de supridores. O prazo para apresentação de propostas se encerrou no último dia 31 de outubro.

Com o objetivo de apresentar o resultado do edital, a Bahiagás promoveu, na sexta-feira (01/12), a mesa redonda ‘Chamada Pública Para Aquisição de Gás Natural - Desafios e Perspectivas para as Distribuidoras’. O debate, realizado no Salão 1, do Edifício Boulevard Side Empresarial (Caminho das Árvores), em Salvador, foi conduzido pelo diretor-presidente da Bahiagás, Luiz Gavazza; ao lado do diretor da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), José Cesário Cecchi, e do presidente executivo da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) Augusto Salomon.

O diretor-presidente da Bahiagás demonstrou o êxito da iniciativa, relatando os números finais do processo. “Recebemos, ao final, 14 propostas, de empresas nacionais e internacionais, que operam com fontes de suprimento e logísticas de entrega diversas”, anunciou Gavazza. Ele informou ainda, que sete agentes cumpriram os termos e foram habilitados no edital, e que dois deles já assinaram Protocolo de Intenções com a Companhia. “Na nossa avaliação, os números comprovam o acerto da medida”, arrematou.

“A principal motivação da Bahiagás foi a de superar as dificuldades comerciais enfrentadas com o principal supridor. A Companhia busca, com esta iniciativa, diversificar as suas fontes supridoras, aumentar a confiabilidade no provimento e a competitividade do gás natural no estado da Bahia”

Desafios -

As motivações e os objetivos do movimento da Companhia também foram expostos pelo diretor-presidente. “A principal motivação da Bahiagás foi a de superar as dificuldades comerciais enfrentadas com o principal supridor. A Companhia busca, com esta iniciativa, diversificar as suas fontes supridoras, aumentar a confiabilidade no provimento e a competitividade do gás natural no estado da Bahia”, esclareceu.

Pontos de atenção e desafios para a ampliação das fontes supridoras também foram expostos durante o evento. Questões como: a formulação de uma possível Chamada Pública com repercussão regional; as tratativas para o uso do Terminal de Regaseificação da Bahia; a unificação dos procedimentos fiscais e comerciais nos estados sócios controladores das CDLs no Nordeste, entre outras, pautaram a discussão.

O presidente executivo da Abegás, Augusto Salomon, além de parabenizar a iniciativa da Bahiagás, enfatizou, na sua exposição, dentre outros assuntos, a importância da integração da malha de dutos das CDLs de estados vizinhos. Segundo ele, a medida, que precisa ser avalizada pela ANP, “viabilizaria o atendimento de polos importantes, mas ainda operacionalmente inviáveis, em virtude das distâncias geográficas das redes de distribuição das Companhias”. Salomon também expressou a sua preocupação com alguns aspectos desconsiderados pelo Projeto de Lei 6407/13, conhecido como PL do Gás Natural, em tramitação no Congresso.

José Cesário Cecchi, diretor da ANP, apresentou as iniciativas da Agência para o setor e respondeu aos diversos questionamentos da plenária sobre os entraves ainda existentes no mercado do gás natural. Cecchi detalhou a Chamada Pública da TBG (Sociedade Anônima que tem a Petrobras Logística de Gás S.A., como sócio majoritário) para Contratação da Capacidade de Transporte após Término do Contrato de Transporte (TCQ). A TBG é responsável pelo Gasoduto de Transporte Bolívia-Brasil e entrega, aproximadamente, 30 milhões de m³/dia de gás natural para as regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul do país, que representam mais de 50% do PIB nacional.
O evento contou com a representação das secretarias estaduais de Infraestrutura (Seinfra) e Desenvolvimento Econômico (SDE), além da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações (Agerba). As distribuidoras Copergás, Potigás, Algás, SCGás e Comgás também enviaram representantes. A Federação das Industrias do Estado da Bahia foi representada pelo presidente do seu Conselho de Gás, Petróleo e Naval, Humberto Rangel.

Industrial

O segmento industrial é o que consome o maior volume de gás natural distribuído pela Bahiagás. O consumo se localiza principalmente no Polo Industrial de Camaçari e no Centro Industrial de Aratu, além das cidades de Feira de Santana, Alagoinhas, Eunápolis, Mucuri, Itabuna e Ilhéus.

A atuação da Bahiagás neste segmento coloca a Bahia em lugar de destaque no país. O estado ocupa o primeiro lugar no Brasil em participação do gás natural na matriz energética industrial.

Utilização do gás natural canalizado no segmento industrial

  • Como matéria-prima (petroquímicas e indústrias de fertilizantes);
  • Como redutor siderúrgico (indústrias siderúrgicas);
  • Como combustível (geração de calor);
  • Na cogeração (geração de energia elétrica e vapor).

 Vantagens da utilização de gás natural canalizado para a Indústria

  • Reduz os poluentes devido às baixas emissões de compostos nitrogenados e de monóxido de carbono, contribuindo para a melhoria do meio ambiente;
  • Aumenta a vida útil dos equipamentos devido ao baixo percentual de gases ácidos e compostos de enxofre;
  • Elimina a estocagem de combustíveis e desativa os equipamentos de combustíveis líquidos, como bombas, tanques e aquecedores;
  • Reduz as intervenções de manutenção e da limpeza das áreas de queima e de trabalho, diminuindo o custo operacional;
  • Melhora o rendimento térmico devido à ausência de resíduos de queima;
  • Aumenta a precisão de regulagem de chama devido à estabilidade da composição do gás natural;
  • É pago após o consumo.

Automotivo

O gás natural veicular (GNV) é o mesmo gás natural utilizado na indústria, residências e estabelecimentos comerciais. Porém, sua queima é mais limpa que a da gasolina, do álcool e do diesel, o que proporciona redução da emissão de poluentes.

Vantagens do GNV

  • Economia de até 60% nos gastos com combustível.
  • É mais seguro quanto ao manuseio, já que a temperatura de ignição é superior;
  • O abastecimento é feito sem contato com o ar, evitando possibilidades de combustão;
  • Tem menor densidade que o ar, se dissipando facilmente em caso de vazamento;
  • Armazenamento em cilindros resistentes, inclusive, ao impacto de projéteis de armas de fogo;
  • Aumento do intervalo das trocas de óleo e das velas de ignição;
  • Aumento da vida útil do motor;

Conversão para veículos

Para converter o veículo ao uso do GNV, são necessário equipamentos basicamente formados por:

  • Conjunto de cilindros para acondicionar o GNV;
  • Redes de tubos de alta e baixa pressão;
  • Dispositivo regulador de pressão;
  • Válvula de abastecimento;
  • Dispositivo de troca de combustível;
  • Indicadores de condições do sistema; 

- Cuidados com a conversão:

Os veículos que utilizam o GNV devem ser adaptados exclusivamente em oficinas credenciadas (deve ser exigido o Comprovante de Segurança Veicular – CSV, expedido pelas oficinas credenciadas pelo INMETRO). 

Abastecimento


Ver o mapa ampliado

 

LINKS ÚTEIS:

Relação de Postos com GNV

Pesquisa de Preços ANP

Massa específica do GNV

Lista de Convertedores

Comercial

Vantagens do gás natural no comércio:

  • Melhoria do rendimento dos equipamentos, além de liberação de espaços importantes com a diminuição expressiva das áreas de risco;
  • Praticidade do uso, com segurança e assistência técnica permanente 24 horas por dia;
  • Pagamento após o consumo do gás natural;
  • Fornecimento contínuo, gerando maior comodidade sem necessidade de reabastecimento;
  • Maior segurança, pois o gás natural é mais leve que o ar, o que lhe permite escapar para a atmosfera em caso de vazamentos.

O gás natural aumenta significativamente a rentabilidade e a qualidade dos serviços de um empreendimento comercial. Confira exemplos de estabelecimentos que usufruem dos benefícios do energético:

  • Hotéis
  • Shoppings
  • Hospitais
  • Supermercados
  • Motéis
  • Lavanderias
  • Clubes
  • Pronto-socorro
  • Escolas
  • Clínicas
  • Academias esportivas
  • Padarias
  • Restaurantes
  • Churrascarias
  • Lanchonetes
  • Concessionárias de veículos
  • Laboratórios, etc.

 

Abaixo, alguns equipamentos a gás natural que podem ser usados por estabelecimentos comerciais:

  • Aquecedores de água
  • Caldeiras
  • Fornos
  • Fritadeiras
  • Fogões
  • Secadoras
  • Geradores de energia elétrica
  • Máquinas de absorção
  • Ar-condicionado
  • Refrigeradores com motores a gás
Assinar este feed RSS